Argumento de autoridade
  1. O que é um argumento de autoridade?
  2. O que é argumento de comparação?
  3. O que é um texto argumentativo?

1. O que é um argumento de autoridade?

O argumento de autoridade é um recurso de argumentação em que se deseja sustentar determinado posicionamento defendido por meio da citação de uma fonte confiável, por exemplo, um especialista em direito do processo penal, um cientista reconhecido internacionalmente, dados estatísticos de uma instituição de pesquisa de elevado reconhecimento nacional etc.

Dessa forma, a hipótese de trabalho de um TCC pode ser fortalecida por meio do emprego de citações de autoridades no assunto que corroboram com o posicionamento defendido na monografia. Devido ao prestígio obtido pela sociedade, estas autoridades possuem credibilidade em relação aos argumentos expedidos, permitindo uma maior adesão ao posicionamento defendido por parte do público. Para saber mais acerca de argumento de autoridade, veja o artigo de Maria Flávia Figueiredo e Ana Cláudia Ferreira da Silveira.

2. O que é argumento de comparação?

O argumento de comparação também é chamado de analogia. Neste tipo de argumento, o fator de adesão da audiência é o estabelecimento de semelhanças por parte de quem argumenta.

Dessa forma, é preciso extrair-se o elemento que é semelhante em duas situações e, por meio da comparação, pretende-se que os leitores concordem com o argumento defendido pelo autor da monografia. As conclusões alcançadas são resultado da comparação entre hipóteses semelhantes, ou seja, é importante conhecer a razão de ser dos objetos que são comparados e traçar um paralelo entre eles.

Se você quiser estudar mais os tipos de argumentação (argumento por evidência, por exemplificação, de princípio e por causa e consequência), acesse o texto conceitual apresentado na Olimpíada de Língua Portuguesa.

3. O que é um texto argumentativo?

A compreensão da resposta desta pergunta é de extrema relevância para que você elabore um TCC, uma dissertação, uma tese, um artigo científico, um artigo de opinião etc. de sucesso, pois o texto que você deverá estruturar tem caráter argumentativo. Note-se que, preferencialmente, o texto deve ser escrito na terceira pessoa, evitando-se, portanto, a primeira pessoa.

A estrutura básica de um texto argumentativo (ou texto dissertativo argumentativo) é a seguinte: hipótese a ser defendida, problema-chave a ser respondido, premissas a serem adotadas, contra-argumentos que buscarão desconstruir a sua hipótese de trabalho, a síntese do caminho lógico percorrido para construir o argumento central e a conclusão alcançada pelo argumentador. Assim, ao escrever sua monografia, pense nesta estrutura.

Neste sentido, é possível afirmar que, ao escrever o seu trabalho acadêmico de forma argumentativa, deverão existir 3 elementos:

1) a ideia (hipótese de trabalho) que você pretende defender;

2) a atitude de pesquisador, ou seja, você com uma postura de sujeito que visa a estabelecer uma lógica de diversos argumentos para sustentar a sua hipótese de pesquisa; e

3) a banca examinadora e os leitores, em geral, de sua monografia os quais serão o público a quem você se dirigirá e buscará apresentar a legitimidade de sua estrutura lógica de pensamento. Assim, o autor do texto deve ter ciência de que as mesmas informações sobre o assunto estudado serão analisadas sob diferentes pontos de vista.

Um texto argumentativo é impositivo, pois a sua ideia principal é apresentar a legitimidade do posicionamento defendido pelo argumentador. Você deve lembrar de que a imposição deve ser de uma forma sútil, por isso, evite expressões como: é óbvio que podemos concluir; é mais do que evidente que chegamos à conclusão; é descabido defender posicionamento contrário; referido autor está errado; citada autora está certíssima etc.

Deixe sempre claro para a sua banca: qual é o problema-chave, como você elucidará a questão e a comprovação do seu argumento central.

O aluno que está elaborando o seu trabalho acadêmico percorre as seguintes etapas: encontra um debate acerca de determinado tema; extrai o problema-chave, isto é, o problema de pesquisa; elucida a questão central por meio de argumentos de autoridade e analogias e comprova por meio de argumentos de caráter empírico, experimental, estatístico, pragmático etc.

Lembre-se de que fatos não são objeto de questionamento, eles apenas existem. O que se debate são as explicações referentes a fatos, a busca por motivar o porquê de determinados fatos ocorrerem de certa forma, ou seja, questionam-se os discursos construídos em volta de fatos, mas não os fatos em si. Assim, os fatos podem comprovar a sua argumentação, ou seja, a sua explicação pode se sustentar com base em fatos que são explicados pelo seu discurso.

Desse modo, o argumento possui uma estrutura básica que pode ser apresentada da seguinte forma:

a) Hipótese de trabalho: você apresenta a sua tese que deve ser sustentada e comprovada, conseguindo ser preservada apesar dos contra-argumentos;

b) Dados: correspondem aos fatos e estatísticas que são empregados para sustentar e comprovar a hipótese de pesquisa, ou seja, eles são empregados para demonstrar que a hipótese pode ser sustentada cientificamente. Este é o motivo de ser tão importante fornecer exemplos de fatos ou estatísticas após a conclusão de uma estrutura argumentativa; e

c) Garantias: é, exatamente, o seu discurso que liga os dados a sua hipótese de trabalho, como você os conecta.

No texto argumentativo, a argumentação deve ser uma unidade, ou seja, você deve elaborar o seu trabalho acadêmico com base em um argumento central. Se existir mais de um argumento central para toda a sua monografia, você correrá o risco de dispersar. Para ler mais acerca de textos argumentativos, recomendamos a leitura do texto de Rosane Miranda dos Reis.

O argumento central é sustentado por diversos argumentos, mas estes gravitam ao redor do argumento central, mantendo a unidade. Os variados argumentos apresentados servem para defender o argumento central, ou seja, não são argumentos desconectados do argumento central da monografia.

Além disso, na sua monografia, deve haver um argumento central que é sustentado pelos argumentos apresentados em cada capítulo. Cada capítulo tem um argumento central, que sustenta o argumento central da monografia, mas é sustentado por outros argumentos no capítulo.

É fundamental não confundir texto argumentativo com texto explicativo: texto explicativo (ou texto expositivo) possui como principal objetivo fornecer informações ao leitor acerca de determinado assunto, sendo que não há a defesa de uma ideia. Assim, são exemplos de hipótese de texto explicativo: manuais, livros didáticos, cursos etc.

Já o texto argumentativo possui o objetivo de defender uma ideia, de questionar determinado fato. Exemplo: monografias. Para saber mais, consulte o trabalho de Rosane Miranda dos Reis.

Este é o motivo de não se recomendar o uso de manuais e livros didáticos como referências bibliográficas, pois, como são textos explicativos, não possuem a função de apresentar argumentos. Na sua monografia, você deve empregar textos argumentativos.

Por fim, lembramos de que a nossa Máquina de Monografia – Edição Matrix faz as perguntas necessárias para construir cada um dos parágrafos de um texto argumentativo, não permitindo que haja dispersão e viabilizando a elaboração de uma estrutura lógica que seja capaz de defender uma hipótese de pesquisa. Na sequência, vejamos as três perguntas que devem ser respondidas para que você construa um texto argumentativo de sucesso.

Autora: Professora Dra. Cristina Godoy Bernardo de Oliveira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.